sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Alimentos que estimulam a tireóide

Alimentos que estimulam a tireóide


A tireóide é glândula fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo. Ela é a responsável por produzir hormônios que desempenham funções em quase todos os órgãos do corpo, como coração, cérebro e intestino.

http://www.prando.us/conteudo/ti-img2.jpg
Quando a tireóide não funciona bem, o corpo todo sente os impactos. Se ela produz uma quantidade menor desses hormônios, ocorre o ganho de peso, cansaço e falta de disposição. Esse quadro é chamado de hipotireoidismo.
Para dar aquele empurrãozinho na tireóide, alguns alimentos são muito importantes. Abaixo listamos alguns alimentos que não podem faltar na mesa de quem sofre com o hipotireoidismo.
  • Leite e seus Derivados O leite contém cálcio, que é fundamental para regular o metabolismo e o iodo, principal substância que atua na tireoide. O ideal é consumir pelo menos 3 porções de leite ao dia. Outros alimentos à base de leite, como queijo, iogurte e requeijão também são indicados.
  • Gema de ovo Contém iodo e vitamina D, essas substâncias ajudam a estimular o funcionamento da tireoide. Para isso, é necessário consumir ao menos 1 gema de ovo durante a semana.
  • Frutos do mar Os frutos do mar, como ostras, lagostas e camarões também são fonte de cálcio e iodo. A recomendação é de 1 porção de 120g 2 vezes na semana.


- x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x -

O coração agradece

por: Dra Márcia Cristina
http://coracao-em-foco.blogspot.com.br/


Nem todos sabem o que é a tireóide.

Uma glândula, em forma de borboleta, que se localiza na região anterior do pescoço. Responsável por hormônios importantes à nossa saúde, que quando entram em desequilíbrio de produção, geram problemas no corpo como um todo. Mas, como tenho visto no dia a dia, o que gera mais "medo" nas pessoas levando-as à consulta médica, é quando o "coração acelera demais". - "Doutora, meu coração parece que vai sair pela boca! Eu estou calma, assistindo tv e de repente isso acontece."
Daí, uma pergunta, pode mudar o rumo do diagnóstico.
-"Você já avaliou a sua tireóide?"
-"O que é isso, doutora?"
Daí, explica-se o que é, e os problemas que pode ocasionar, quando há algo de errado com ela.
Outras perguntas podem ser feitas,antes de solicitar quaisquer exames:
-"Seus cabelos estão caindo demais? 
Suas unhas estão "fracas"? 
Seu sono tem alterado? 
Seu peso tem alterado? 
Seu humor se alterou, nesse período?"
Se a resposta for positiva a algumas dessas perguntas, provavelmente está-se diante de uma alteração na função da tireóide. Solicita-se então, exames mais específicos. Geralmente, uma simples dosagem do hormônio estimulante da tireóide, o TSH,  já direciona o caminho para um diagnóstico correto. Caso conclua-se alteração no resultado, inicia-se o tratamento, que é acompanhado de perto pela Endocrinologia. Se houver alguma persistência nos sintomas relacionados ao coração, como por exemplo: batimentos cardíacos e pressão arterial, acima dos níveis normais, a Cardiologia formará uma dupla nesse tratamento.
Para evitar esse "susto", deve-se  pelo menos uma vez ao ano, fazer uma avaliação geral.
Às vezes, uma pequena alteração ,pode gerar um problema enorme ao organismo. E se pudermos evitar, esse é o melhor remédio.
O coração agradece!

Até uma próxima.
Dra. Márcia Cristina

- x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x - - x -

Valor normal do TSH (hormônio tireoestimulante)

Com tanto exame de tireóide sendo realizado, surgem várias dúvidas no dia-a-dia, inclusive para o médico, quem dirá para o paciente. Um doutor diz que está bom, outro diz que não; um diz que tem que tratar, outro não acha necessário; um diz que tem que mudar a dose, outro diz que não...enfim uma confusão.
http://3.bp.blogspot.com/-QeiGH_p3Sb8/ToPJNzXZ1LI/AAAAAAAACkU/FRE_jp0zMRQ/s1600/i145988.jpg Falando principalmente do hipotireoidismo, muitos casos subclínicos vêm sendo descoberto, e o tratamento permanece controverso.

Atualmente tem se proposto diferente valores de TSH para diagnótico de hipotireoidismo em diferentes faixas etárias:
  • menos de 30 anos: TSH crescente > 2,5 mU/L
  • 30 a 50 anos: TSH > 4,0 mU/L
  • 50 a 60 anos: TSH > 4,5 mU/L
  • 60 a 70 anos: TSH > 6,0 mU/L
  • 70 a 80 anos: TSH > 8,0 mU/L
  • mais de 80 anos: TSH > 10 mU/L
Acredita-se que faz parte do processo de envelhecimento a elevação dos níveis de TSH, fisiologicamente. Em pacientes idosos os benefícios do tratamento são menos evidente. Sendo assim, aquela senhora de 65 anos com TSH de 6 mU/L, não necessita ser tratada. Mais uma jovem de 20 anos, com TSH de 4 mU/L, cujos valores anteriores eram mais baixos, provavelmente sim.
O intervalo de valores desejáveis quando em uso de levotiroxina (hormônio da tireóide) também varia com a faixa etária do paciente:

  • 20 a 60 anos: 0,4 - 2,0 mU/L
  • 60 a 70 anos: 2,6 - 6,0 mU/L
  • 70 a 80 anos: 2,0 - 8,0 mU/L
  • mais de 80 anos: 2,0 - 10,0 mU/L


Fonte: 
liveboo.com
brendaendocrino.blogspot.com.br
 
Edição e Adaptação: Maiquel Fleck

Nenhum comentário:

Postar um comentário